História da Filigrana Portuguesa

A filigrana portuguesa é a antiga arte de "dourar" as mulheres da região minho de Portugal, particularmente as de Viana do Castelo. As requintadas peças de joalheria criadas com esta técnica são há muito utilizadas como acessórios valiosos para ocasiões especiais, sendo parte integrante e enriquecendo os trajes tradicionais portugueses do Minho e Douro Litoral, os mais famosos dos quais, são os de Viana do Castelo.

O coração de Viana, visto em pendentes e brincos, é a peça "mítica" mais reconhecida da tradição vianense. Como outras peças tradicionais, ele é altamente trabalhado em filigrana e é tão meticuloso e delicado que quase parece irreal.

O visual único da filigrana portuguesa vem do temperamento do seu povo - representando temas próximos ao seu coração, como religião e amor, natureza e mar - tendo-se tornado uma parte importante das sumptuosas joias do património do português, pois representa sua história, cultura e tradição


A técnica

A Filigrana é uma arte puramente manual, que exige um trabalho muito paciente, imaginativo e grande destreza por parte dos artesãos. Esta arte trabalha delicados fios de metal entrançado (ouro, prata ou outros metais), colocados sob uma fonte de calor para que amoleçam e possam ser trabalhados pelos artesãos, que criam peças de arte elaboradas e elegantes, como pendentes, brincos, pulseiras, anéis, colares e outros.

cms-tecnique(1).jpg

Esta técnica é em si própria uma arte muito meticulosa, e os artesãos que a dominam atingem um enorme prazer em cada peça que concluem

Os principais pólos de fabrico da filigrana portuguesa estão localizados nas proximidades da cidade de Porto - Gondomar e Póvoa de Lanhoso (Braga)

Sendo uma parte tão importante da história e do património cultural de Portugal, estas jóias de filigrana podem ser encontradas um pouco por todo o país, mesmo nas cidades mais afastadas, como na capital do país, Lisboa, ou no Algarve, Faro e Portimão.